O mundo encantado das mamães e seus bebês!

Aleitamento Materno

by Gisele

Algumas mães se sentem inseguras ao alimentar o bebê exclusivamente pelo leite materno. O Blog maternoeinfantil separou algumas informações que podem ajudar você a se sentir mais segura.

O aleitamento materno é nutricionalmente superior, o leite materno é rico em nutrientes e fornece exatamente o que seu bebê precisa durante os 6 primeiros meses de vida, sem precisar de nenhum outro alimento.

É bacteriológicamente seguro, pois não há manipulação e consequentemente há menor risco de contaminação.

Fornece imunidade contra doenças, pois possui anticorpos impressindíveis para o bebê.

Previne a alergia alimentar, pois o bebê pode apresentar alergia a nutrientes ou particulas presentes em outros alimentos. O sistema gastrointestinal do bebê ainda não se desenvolveu o suficiente para se proteger destas partículas.

Garante o desenvolvimento dos maxilares. A sucção é muito importante para esta etapa do desenvolvimento e futuramente dos dentes e dos ossos.

O aleitamento materno promove o vínculo mãe/filho, por isso o quão precoce a mãe puder amamentar seu filho mais importante será para o desenvolvimento deste vínculo.

Além de benéfico para o bebê ainda há muitas vantagens para a mamãe, pois diminui a incidência de câncer de mama, promove o retorno ao corpo de antes da gestação e é importante para involução uterina.


“Criança não pensa”

by Gisele

Estou lendo pela segunda vez um livro que ganhei de presente e do qual gostei muito. É um livro da escritora Lya Luft – Perdas e Ganhos. Não saberia dizer aqui do que se trata este livro porque são muitos os aspectos nos quais ele me encanta e me identifica profundamente… 

Mas como o nosso universo aqui é o materno e infantil e o livro, entre outras coisas, fala desses vínculos que criamos ao longo da vida, separei um trecho para postar aqui no Blog. Espero que gostem!!!

” Muito escutei na infância:  Criança não pensa!

Criança pensa. mas faz também algo mais importante, que amadurecendo desaprendemos: Ela é. Contemplando uma mancha na parede, um inseto no capim ou a revelação de uma rosa, ela não está apenas olhando. Está sendo tudo isso em que se concentra. Ela é o besouro, a figura na parede, ela é a flor, o vento e o silêncio.

Da mesma forma ela é a frieza ou a angústia dos adultos, sua superficialidade e frieza ou seu amor verdadeiro.

E precisa que às vezes a deixem quieta, sem exigir que a toda hora se mexa, corra, fale, brinque, como se contemplação fosse doença.

A criança imersa em seu ambiente participa de um processo maior do que ela, no qual desabrocha com pouca consciência. Porém ela tem algo mais valioso do que a consciência: tem intuição de tudo, tem o saber inocente.”


Saúde Bucal

by Gisele

Conforme falado no post anterior o blog maternoeinfantil traz algumas dicas de saúde bucal durante a gestação.

O tratamento odontológico deve ser priorizado também durante a gestação. É super importante para as gestantes manter também a saúde de seus dentes e boca.

Como sabemos, o primeiro trimestre da gestação é o período de formação fetal e nesse período muitos tratamentos e medicamentos devem ser evitados, por isso a melhor fase para se procurar o dentista é durante o segundo trimestre da gestação.

Muitas mamães se preocupam com uso do anestésico local, mas durante o segundo trimestre, quando bem indicado pelo dentista não trazem problemas nem para a mãe nem para o bebê.

As radiografias também podem ser realizadas, desde que sejam tomadas algumas precauções, como o uso de avental de chumbo. E o dentista só indicará os procedimentos mais urgentes, deixando para depois da gestação os que não trouxerem maiores problemas para a mamãe.

Todo esse cuidado se justifica pois as mudanças hormonais próprias da gestação aumentam a suscetibilidade da mulher a cáries e outras doenças. E, como os hormônios também atuam no trânsito gastrointestinal e são comuns as queixas de enjôo e náuses, a higiene bucal pode ficar prejudicada.

A alimentação também terá grande influência na saúde bucal das gestantes, dê preferência a alimentos mais secos, duros, crus e coloridos. Uma alimentação mais sólida exige mais esforço mastigatório, favorecendo a articulação temporomandibular. Além de ajudar na saúde dos dentes, estes alimentos são ricos em fibras e favorecem o bom funcionamento intestinal. A mastigação mais forte também beneficia o periodonto, pois massageia a gengiva.

Evite alimentos ricos em açúcar pois além de estarem intimamente associados ao nível cariogênico, estão relacionados ao ganho de peso da gestante e ao desenvolvimento do diabetes gestacional.

Converse com seu dentista para tirar todas as dúvidas.


Curiosidade

by Gisele

No mês de outubro são comemoradas datas importantes relacionadas à saúde em geral.

No dia 16 de Outubro é comemorado o dia mundial da alimentação. E como o blog maternoeinfantil tem na alimentação e nutrição sua principal fonte de conteúdos resolvemos comemorar. Pra isso nada melhor que um “bom pedaço de bolo”. Como não dá pra partimos um bolo virtual separamos algumas fatias e relacionamos as calorias para que tanto mamães como a criançada possam curtir sem culpa o seu próximo pedaço de bolo.

 

O bolo de cenoura caseiro - a fatia de 50 gramas – tem aproximadamente 189 calorias, se colocarmos aquela irresistível cobertura de chocolate as calorias chegam a 370 por fatia; já o bolo de milho caseiro, mesma fatia de 50 gramas tem aproximadamente 174 calorias e o bolo de chocolate industrializado (massa pronta para mistura) tem aproximadamente 202 calorias a fatia de 50 gramas.

Aproveite o bolo para comemorar também o dia do médico (18 de outubro), e o dia nacional do dentista (25 de outubro).

Vamos aproveitar o dia do dentista para postar informações sobre a saúde bucal das mamães e dos bebês. Aguardem!!!


Mãe

by Gisele


12 de Outubro

by Gisele


Travessuras…

by Gisele

A infância é um período muito gostoso de descobertas e muita criatividade dos pequenos. Acontece que com as travessuras é comum vir os acidentes e o apavoramento das mamães, principalmente as de primeira viagem.

O Blog maternoeinfantil preparou algumas dicas de como evitar os principais acidentes nessa fase.

É claro que os acidentes na infância variam muito em conformidade com os locais onde a família reside (campo ou cidade), tipos de moradia (casa, apartamento, térreo ou andares) e principlamente varia com a idade de quem está cometendo a travessura.

Acidentes Automobilísticos: Caso a criança esteja ocupando algum automóvel – Nunca pense que o trajeto é curto ou que não tem perigo. Pesquisas demonstraram que a grande maioria dos acidentes ocorrem próximos de casa ou do destino. Como evitar: Existem assentos adequados  para cada faixa etária, nunca leve as crianças no banco da frente e sempre utilize o cinto de segurança mesmo no banco de traz.

Quedas: As quedas costumam acontecer em casa, especialmente de mobílias, escadas, playgrounds e janelas. Como evitar: Nunca deixe os bebês sozinhos em camas, trocadores ou sofás, coloque barreiras de acesso às escadas, avalie se os brinquedos do Play são seguros ou se possuem proteção contra quedas, como chão recoberto de material macio, mantenha os acessos à lajes e sacadas fechados e coloque redes de proteção em janelas e sacadas dos apartamentos. Em caso de grades, verifique a distância das traves para que a criança não tente atravessá-las, retire os móveis que favoreçam às crianças a subirem nos parapeitos e que os ajudem a alcançar as janelas e outros móveis mais altos.

Afogamentos: Se a casa tem piscina o perigo é maior, mas esteja atenta aos clubes e áreas públicas e por incrível que pareça, como falei anteriormente, dependendo da idade até o banho é perigoso. Como evitar: Coloque barreiras de acesso à piscina da casa, em qualquer local nunca deixe a criança sozinha, mesmo que ela saiba nadar, acostume a criança a utilizar sempre as bóias e mesmo nesse caso não a perca de vista, verifiquem a presença de salva-vidas nos clubes e praias e não deixe a criança brincar próximo às piscinas ou entrar em locais perigosos mesmo acompanhada. Nunca deixe o bebê sozinho nas banheiras, mesmo que ele saiba sentar.

Asfixia: É ato institivo e faz parte do desenvolvimento das crianças levarem tudo á boca, portanto as mamães devem ter especial cuidado com os objetos deixados próximos aos filhotes. Os objetos mais comuns que provocam engasgamentos e asfixia são as moedas, partes pequenas de brinquedos, lápis e pedaços de plástico. Para evitar essa situação nunca deixe objetos pequnos próximos às crianças.

Se o bebê engasgar coloque-o de bruços em seu colo com a cabeça mais baixa que o corpo, dê pancadas secas nas costas do bebê (5 vezes), vire o bebê de frente, também com a cabeça mais baixa que o corpo, coloque 2 dedos na parte de baixo do osso do peito do bebê e empurre-o 5 vezes, repita esta operação desde o início até que a via aérea esteja livre e o bebê repire livremente. Nas crianças maiores fique em pé atrás da criança e coloque os punhos fechados na parte inferior do osso do peito, puxe com firmeza para cima e para dentro 5 vezes, repita a operação até que a crinaça respire normalmente.

Outra coisa que a criança pode levar à boca são medicamentos e produtos de limpeza e higiene (envenenamentos). Este tipo de acidente é imprevisível pois em segundos a criança pode ingerir algo que você não tenha visto. Mantenha as crianças longe destes produtos, guarde-os trancados em local seguro e de conhecimento apenas dos adultos.

Queimaduras: A causa mais comum de queimaduras é o derramamento de líquidos quentes e menos por acidentes com fogo. Como evitar: Mantenha os alimentos e bebidas quentes longe da borda dos balcões, pias e mesas, para as mesas é recomendável a retirada das toalhas para evitar que a criança puxe, mantenha a criança longe da cozinha se tiver alguém cozinhando. Utilize sempre as bocas de trás do fogão e sempre com os cabos para trás.

Oriente sempre as crianças quanto aos riscos de acidentes. Oriente também as babás e empregadas quanto as formas de prevenção dos acidentes e nunca, nunca perca seu pequeno de vista!


O perigo pode ser silencioso…

by Gisele

Vamos aproveitar a semana das Crianças para Postar algumas dicas especiais sobre os perigos que rondam o dia a dia de seu filho.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibibiu no Brasil a produção, importação e comercialização de mamadeiras que contenham o Bisfenol A em sua composição. Os produtos que estão sendo comercializados tem até 31 de dezembro de 2011 para se adequarem à resolução. (RDC 41/2011)

O Bisfenol A ou BPA é um plástico transparente muito utilizado na produção de mamadeiras, copos e outros utensílios plásticos de armazenagem de alimentos. O problema é que este plástico tem efeito tóxico ao organismo, pois possui similaridade com o hormônio estrogênio (Hormônio feminino), podendo aumentar futuramente o risco de câncer de próstata (nos meninos) e mama (nas meninas).

A substância é transferida para o alimento e essa transferência ocorre em maior proporção quando o utensílio (mamadeira) é submetida ao aquecimento. Muitas mamães aquecem a mamadeira em microondas ou “banho maria” o que torna o alimento potencialmente perigoso às crianças.

Muitas pesquisas ainda estão sendo feitas sobre o bisfenol A. Mas você já pode ir pensando em como proteger seu filhote deste risco. Para saber se o utensílio tem Bisfenol A, procure no rótulo, o fabricante deve especificar se tem ou não. Outra dica é verificar se tem um triângulo de setas na base da mamadeira (aquele que indica que o material é reciclável) com os números 3 ou 7 dentro. Se tiver é porque o produto contém bisfenol A.

Fonte de Pesquisa: Anvisa

Foto: brasilescola

 


Outubro Rosa

by Gisele

As mamães antenadas com a saúde devem se ligar no Outubro Rosa.

Uma campanha Internacional, iniciada há mais de 10 anos e que tem como objetivo a prevenção do Câncer de Mama.

No Brasil existem várias ações em prol desta campanha. No Rio de Janeiro por exemplo acontece a iluminação em Rosa de um dos principais Pontos Turísticos da cidade, o Cristo Redentor. E em outros estados algumas sedes e órgãos do governo também recebem a cor rosa.

A prevenção do Câncer de Mama tornou possível a cura em 90% dos casos identificados em fase inicial. Por isso é tão importante ter acompanhamento médico e fazer os exames de rotina. Converse com seu médico e pergunte quais exames são mais apropriados pra você e sempre faça o autoexame.

O Blog maternoeinfantil dá uma dica:  mamãe que amamenta diminui suas chances de desenvolver esta doença.

Segundo artigo publicado pela Dra. Marina F. Rea no Jornal de Pediatria de novembro de 2004, numa “revisão de 47 estudos realizados em 30 países envolvendo cerca de 50 mil mulheres com câncer de mama e 97 mil controles, sugere que o aleitamento materno pode ser responsável por 2/3 da redução estimada no cancêr de mama. A Amamentação foi tanto mais protetora quanto mais prolongada: O risco relativo de ter câncer decresceu 4,3% a cada 12 meses de duração da amamentação, independentemente da origem das mulheres (países desenvolvidos versus não desenvolvidos), idade, etnia, presença ou não de menopausa e número de filhos. Estimou-se que a incidência de cânceres de mama nos países desenvolvidos seria reduzida a mais da metade (de 6,3 para 2,7%) se as mulheres amamentassem por mais tempo.

 


Muita Fibra

by Gisele

Uma das principais queixas de mulheres, principalmente na gestação é a constipação intestinal ou prisão de ventre.

A constipação intestinal é caracterizada pela diminuição da frequência das evacuações, associada à uma dificuldade ao evacuar, pois as fezes ficam ressecadas e endurecidas, dificultando a eliminação.

Algumas causas podem estar associadas à constipação entre elas as principais são a baixa ingestão de fibras e de líquidos.

Outros fatores podem causar ou agravar a constipação além dos principais citados acima: idade – idosos tem maior chance de desenvolver a doença, gravidez – grávidas tem maiores chances devido à ação hormonal e pressão uterina, obesidade – devido também a ação hormonal e baixa atividade do metabolismo, falta de exercícios físicos e uso prolongado de laxantes.

Vai aqui algumas dicas do Blog materno e infantil para melhorar a função intestinal:

Comece sempre por avaliar sua alimentação – Caso sua ingestão seja principalmente de alimentos pobres em fibra, inicie gradualmente a ingestão dos alimentos com maior teor de fibra até atingir a recomendação diária, que no caso de adultos é de 0,5 gramas por kilo de peso por dias. Por exemplo, eu peso 65 kilos, então preciso atingir a quantidade de 0,5 gramas  x 65 (meu peso) que dá o total de 32,5 gramas de fibra por dia.

Faça refeições regulares e beba muito líquido – Mínimo 2 litros/dia. Pois será importante para hidratar e amoler as fezes.

Respeite os sinais de seu intestino, não adie a ida ao banheiro caso esteja com vontade.

Evite utilizar sempre os laxantes – O uso contínuo pode tornar seu intestino mais preguiçoso.

Faça exercícios físicos regularmente. Se você não tem essa prática, inicie com uma caminhada ao menos 3 vezes por semana.

Esteja atenta aos preparos dos alimentos – Alguns podem sofrer alterações no preparo e cocção. Evite picar os vegetais e legumes em pedaço muito finos, prefira os alimentos que podem ser consumidos com casa. Evite liquidificar os alimentos ricos em fibras.

Atenção! Cuidado especial ao lavar os alimentos que serão consumidos com casa, para evitar alguma infecção intestinal.

Leia sempre o rótulo dos alimentos industrializados, pois nele deve conter  além do valor calórico, a quantidade de nutrientes e a quantidade de fibra.

Veja alguns alimentos e seu teor aproximado de fibras:

Alface – 3 folhas tem 0,9 gramas de fibra,

Brócolis cozido – 3 ramos tem 1,5 grama de fibras,

Tomate Cru – 1 unidade média tem 1,0 grama de fibra,

Vagem cozida – 1/2 xícara de chá tem 1,1 grama de fibra,

Beterraba cozida – 1 unidade média tem 1,4 gramas de fibra,

Cenoura crua – 1 unidade média tem 0,9 gramas de fibra,

Arroz integral cozido – 1/2 xícara de chá tem 1,7 gramas de fibra,

Feijão Preto cozido – 1 concha tem 3,38 gramas de fibra,

Pão integral – 1 fatia tem 1,8 gramas de fibra,

Ameixa fresca – 1 Unidade média tem 0,2 gramas,

Mamão Papaya – 1/2 unidade tem 0,85 gramas

Manga – 1 Unidade média tem 0,7 gramas,

Maçã com casca – 1 Unidade média tem 3,5 gramas

Fonte: Tabela de composição química dos alimentos.