O mundo encantado das mamães e seus bebês!

Dia Internacional da Mulher

by Gisele

Olá Maternas Bom dia! Parabéns pelo Dia Internacional da Mulher!!!

Vou postar aqui, em comemoração a este dia, um texto muito legal, extraído do Jornal O Globo. É um texto da colunista Martha Medeiros. Parabéns a ela também, pelo dia e pela crônica que transcrevo…

“Sociedade de Mulheres Viris”

“Existem pessoas frágeis, mas sexo frágil, esqueça. As Mulheres nunca esstiveram tão fortes, decididas, abusadas até. O que é saudável: Quem não busca corajosamente sua independência acaba sobrando e vivendo de queixas. Uma sociedade de homens e mulheres que prezam sua liberdade e atingem seus objetivos é um lugar mais saudável para se viver. Realização provoca alegria.

O que não impede que prestemos atenção no que essa metamoforse pode ser prejudicial. As mulheres se masculinizaram, é fato. Não por fora, mas por dentro. As qualidades que lhes são atribuídas hoje, e as decorrentes conquistas dessa nova maneira de estar no mundo, eram atributos considerados apenas nos homens. Agora ninguém mais tem monopólio de atributo algum: Nem eles de seu perfil batalhador, nem nós da nossa afetividade. Geração Bivolt. Homens e Mulheres funcionando em dupla voltagem, com todos os atributos em comum. Mas seguimos, sim, precisando uns dos outros – Como nunca.

Não são poucas as mulheres potentes que parecem conseguir tocar o barco sozinhas, sem alguém que as ajude com os remos. Mas é só impressão. Talvez não precisemos de quem reme conosco, mas há em todas nós uma necessidade ancestral de confirmar a fêmea que invariavelmente somos. E isso se dá através da maternidade, do amor e do sexo. Se não for possível ter tudo (ou não quiser), ao menos alguma dessas práticas é preciso exercer na vida íntima, caso contrário, viraremos uns tratores. Muito competentes, mas com a identidade incompleta.

Nossa virilização é interessante em muitos pontos, mas se tornará brutal se chegarmos ao exagero de declarar guerra aos nossos instintos. O.K., ser mãe não é obrigatório, ter um grande amor é sorte, e muitas fazem sexo apenas para disfarçar o desespero da solidão, mas seja qual for o contexto em que nos encontramos, é importante seguir buscando algo que nos conecte com o que nos restou de terno, aquela doçura que cada mulher sabe que ainda traz em si e que deve preservar, porque não se trata de uma fragilidade paralisante, e sim de uma característica intrínseca ao gênero, a parte de nós que se reconhece vulnerável e que não precisa se envergonhar disso. Se é igualdade que a gente quer, extra, extra: Homens também são vulneráveis.

“Cuida bem de mim”, dizia o refrão de uma antiga música de Dalto, e que Nando Reis regravou recentemente. Cafona? Ora, se a gente não se desfizer da nossa prepotência e não se permitir um tantinho de insegurança e delicadeza, a construção dessa “nova mulher” terá se desviado para uma caricatura. A intenção não era a gente se transformar no esteriótipo de um homem, era?

Cuide-se bem, e permita que os outros lhe cuidem também. Viva o dia internacional dessa porção mulher que anda resguardada demais, mas que não deveria ficar assim tão econdida: Não nos desmerece em nada.”


O Consumismo na Infância

by Gisele

Quem nunca escutou de um filho ou um sobrinho aquele “compra pra mim” cheio de graça heim?!

É minha gente, mas o assunto é sério, e já existem instituições que estabelecem programas de educação financeira para jovens.

E esse tipo de programa é tão urgente que o governo federal formulou em 2011 o decreto 7.397  que institui a Estratégia Nacional de Educação financeira (ENEF). A estratégia do governo visa a educação e cerca de 900 escolas públicas passaram a ingressar um projeto piloto que ensina a administrar o dinheiro de maneira inteligente.

O problema é que do outro lado da questão estão os fabricantes de produtos infantis. Dados apresentados por Lais Fontenelle Pereira, do Instituto Alana, expuseram o quanto o setor investe em acelerar e incentivar o consumo entre crianças cada vez mais jovens.

“A TV infantil tem um anúncio a cada 2 minutos e a criança brasileira passa, em média, 5 horas na frente do aparelho. Já na sala de aula, efetivamente, elas passam 3 horas e 15 minutos”. Hoje em dia, é comum ouvir de crianças de menos de 5 anos frases como: “compra mãe!”, “Se não tiver dinheiro, pega no banco!”, “paga com cartão!”.

Eu mesma ouvi do meu sobrinho certa vez que eu tinha um negócio que colocava na máquina do banco, aí fazia TEC, TEC, TEC e saía o dinheiro. Eu ri muito…

Mas apesar de soar engraçadinho, é um alerta para que os pais observem como é a relação dos filhos com o dinheiro, dizem os especialistas.

Educar financeiramente essas crinaças é um desafio para pais e mestres, pois os adversários são fortes. “Bastam 30 segundos para uma marca de alimentos influenciar uma criança. E mais: 70% das crianças de 3 anos reconhecem o símbolo do McDonald’s, mas apenas metade sabe seu sobrenome”, diz Fontenelle.

E ainda, 65% das meninas exploradas sexualmente usam dinheiro para bens de consumo, sendo o celular o ítem mais cobiçado. Sobre o aparelho, cerca de 60% das crianças ou jovens possuem telefone próprio, 25% das de 9 anos já possuem aparelho e 81% de todas elas utilizam o celular três ou mais vezes por semana.

Alguns dados são de assustar! Em 2008 , o segmento de moda infantil no Brasil fatrou 4,5 bilhões de dólares, fatia equivalente a 15% do total do mercado têxtil no país. Paralelamente, o mercado de cosméticos para crianças cresce três vezes mais no Brasil que nos estados unidos.

As conclusões da pesquisa do Instituto Alana são que a publicidade dirigida à criança causa consumismo, obesidade e distúrbios alimentares, além de erotização, estresse familiar, diminuição de brincadeiras criativas, violência pela busca de produtos caros e consumo precoce de álcool e tabaco.

É um assunto a se pensar não acham?!!!

( As informações e alguns trechos do post foram retirados da revista Carta Capital, ano XVII, de 25 de janeiro de 2012)


Irmãos Salvadores

by Gisele

Muitos dos Leitores devem ter visto matéria sobre a Menina Maria Clara. Que foi gerada por Fertilização in vitro com teste de compatibilidade e que poderá ser doadora de células tronco para a irmã que sobre de uma doença no sangue.

Essa história é recente, mas o tema já vem sendo abordado no Brasil há algum tempo. Inclusive com matéria bem interessante na revista veja de 12 de Outubro de 2011.

Um teste permite a seleção de embriões com genética compatível para a cura de irmãos portadores de doenças fatais.

Na última década, cerca de 5000 casais, ao redor do mundo, tentaram gerar um filho para salvar a vida de um outro filho portador de uma doença genética de origem hereditária.

Os resultados de uma fertilização in vitro com teste de compatibilidade são bem melhores se comparados com a FIV sem o teste e com a tentativa de forma natural. Pois nestas duas últimas mesmo que os filhos gerados sejam normais, não há garantia de que ele seja compatível.

Alguns países como Estados Unidos, Espanha, Turquia e Holanda permitem o teste de compatibilidade sem restrições, já França e Grécia só permitem o teste se houver comprovação de que a doença dos filhos anteriores é hereditária. Na Inglaterra o teste só é permitido se realizado em clínicas vinculadas ao governo.

Aqui no Brasil e na Argentina, não há leis específicas sobre o assunto.

O teste de compatibilidade custa em torno de R$5000,00.

Questões éticas e filosóficas são o maior entrave para que a técnica seja mais utilizada entre as famílias que passam por essa situação.


Amor

by Gisele

O blog maternoeinfantil hoje vai falar de amor. Não resisti em publicar esse texto, os créditos vão para o autor Arthur da Távola, espero não estar cometendo nenhuma injustiça.

O amor…

Por mais que o poder e o dinheiro tenham conquistado uma ótima posição no ranking das virtudes, o amor ainda lidera com folga.

Tudo o que todos querem é amar.

Encontrar alguém que faça bater forte o coração e justifique loucuras. Que nos faça entrar em transe, cair de quatro, babar na gravata. Que nos faça revirar os olhos, rir à toa, cantarolar dentro de um ônibus lotado.

Tem algum médico aí??

Depois que acaba esta paixão retumbante, sobra o que? O amor.
Mas não o amor mistificado, que muitos julgam ter o poder de fazer levitar. O que sobra é o amor que todos conhecemos, o sentimento que temos por mãe, pai, irmão, filho.

É tudo o mesmo amor, só que entre amantes existe sexo.

Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja. O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus.

A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta. Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.

Casaram.
Te amo prá lá, te amo prá cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas.
Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso. É preciso que haja, antes de mais nada, respeito. Agressões zero. Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência.

Amor, só, não basta.

Não pode haver competição . Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades. Tem que saber levar.

Amar, só, é pouco.

Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar. Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar. Tem que ter um bom psiquiatra.

Não adianta, apenas, amar.
Entre casais que se unem visando à longevidade do matrimônio tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um. Tem que haver confiança. Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão.

E que amar, ‘solamente’, não basta.

Entre homens e mulheres que ac ham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado.

O amor é grande mas não é dois.

É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!

Um bom encontro aos que procuram!

E felicidades a todos nós!

 

 


Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

by Gisele

Você sabe o que é TDAH?

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é também conhecido como TDAH. Segundo pesquisadores, o TDAH é resultado de uma desordem química no cérebro. Os neurotransmissores, substâncias que fazem a comunicação entre um neurônio e outro, não absorvem as informações de maneira adequada, isso baixa a atividade da parte frontal do cérebro. A pessoa nasce com o trastorno, não é um problema que possa ser  adquirido.

Entre os sintomas do TDAH estão: A falta de atenção, a dificuldade de concentração em tarefas do dia a dia, a impulsividade, a desorganização, o esquecimento, a inquietude, a indecisão, a baixa auto estima, a insegurança e a atividade mental acelerada.

O transtorno atinge cerca de 4% da população mundial.

Segundo psiquiatras, qualquer um de nós pode apresentar algumas das caracterísiticas (sintomas) do TDAH, o que diferencia o transtorno é a associação das características, a intensidade e a frequência que acometem o paciente e se estas características comprometem suas atividades rotineiras.

Para tratar o TDAH o mais imortante é ter um bom diagnóstico, feito por neurologistas e psiquiatras.

Fonte: www.tdah.org.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Como saber se seu filho está se alimentando bem?

by Gisele

É constante a aflição das mamães quanto à alimentação de seus filhos. Será que ele está se alimentando o suficiente? Será que estou fazendo corretamente? Ele não quer comer, será que está doente?

Pensando nisso, o blog maternoeinfantil vai dar dicas pras mamães atentas ao dia a dia da criança.

A primeira pergunta a ser respondida é: Seu filho está mantendo o crescimento adequado?

Acompanhar o crescimento da criança é o primeiro passo para saber se alimentação está correta. Se seu filho mantém a curva de crescimento ascendente, mesmo que abaixo do estimado como média para a idade, é sinal que está tudo bem. Se esta curva se estagnar ou tiver um decréscimo, sinal de alerta!!! Esta curva é acompanhada pelos pediatras nas consultas de rotina.

A segunda questão é: O peso da criança está adequado?

O peso também é um bom indicador, mas as mamães devem se atentar às perdas bruscas de peso, isso também é feito através do acompanhamento da curva de peso para idade e altura da criança.

Tanto para a estatura, quanto para o peso, são levados em conta alguns dados como o fator genético (pais de estatura baixa, obesidade na família, etc), períodos de estirão, que são os períodos em que a criança cresce mais que engorda, e se a criança esteve ou está doente.

Se a criança fica sempre doentinha também indica uma má alimentação. Pois crianças que se alimentam bem, tem menores chances de se adoentarem devido ao fortalecimento do sistema imunológico.

O Sono também poderá indicar uma boa ou má alimentação. Se a criança dorme bem, tem sonos regulares e acorda disposta é um bom sinal de alimentação adequada.

Outros fatores podem indicar alimentação equilibrada e eficaz, como o bom funcionamento do intestino, o nascimento de dentes saudáveis e fortes e o bom apetite.

Mas o que vale mesmo é a mamãe ficar atenta à todos os indicadores e não levar em conta apenas 1 ou outro. E não se esquecer das consultas periódicas ao pediatra.

 


Receita de Ano Novo

by Gisele

Oi gente, estive um pouco sumida em razão das festas de Natal, mas como o último post foi uma receitinha básica para um Feliz Natal, vou postar agora uma receitinha básica de Ano Novo. Vou usar aqui ingredientes muito especiais, pois esta receita foi elaborada por uma mulher muito especial, que viveu intensamente e é exemplo de Vida, a Madre Tereza de Calcutá.

Ela diz assim:

“Dê sempre o melhor… E o melhor virá.

Às vezes as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas…. Perdoe-as assim mesmo.

Se você é gentil, as pessoas podem lhe acusar de egoísta e interesseiro… Seja gentil assim mesmo.

Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros… Vença assim mesmo.

Se você é honesto e franco, as pessoas podem enganá-lo… Seja honesto e franco assim mesmo.

O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra… Construa assim mesmo.

Se você tem paz e é feliz, as pessoas podem sentir inveja… Seja feliz assim mesmo.

O bem que você faz hoje pode ser esquecido amanhã… Faça o bem assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante… Dê o melhor assim mesmo.

E veja você, que no final das contas, é entre você e DEUS… Nunca será entre você e eles!”

Essas são as palavras de uma Santa Mulher!!! E é a nossa receitinha, aqui do blog maternoeinfantil, pra um ano novo com mais amor e paz no coração!!!!

Texto: Pe. Darci Nicioli, C.Ss.R.  Foto: Freepik


Receita de Natal

by Gisele

Para realizar um Feliz Natal o blog maternoeinfantil buscou nas lembranças de muitos natais em família, pode se dizer que nas receitas da vovó, uma  saborosa receita de Natal. Anote tudo, em todas as etapas você poderá  incluir toda a família, inclusive as crianças…  Para esta receita você precisará de:

1 árvore de natal montada na sala ou em local onde se reúne a família;

1 enfeite de Natal para porta;

1 presépio à espera do menino Jesus;

1 ceia de natal;

1 par de sapatos na janela à espera do presente do papai noel ( ítem à gosto, coloque quantos pares de sapatos julgar necessário);

Retire da mistura tudo o que for de mágoa e rancor, e despreze.

Deixe apenas uma boa quantidade de amor, perdão e de esperança.

Depois de tudo pronto, acrescente uma ave maria e um pai nosso em sinal de agradecimento e fé.

Sirva tudo com abraços bem quentinhos!!!

Esta receita é rica em: Encontros, sorrisos, corações aliviados, talvez um pouco de lágrimas de emoção. Rica em alegria e fé. É uma receita revigorante e energizante. Uso sem moderação.

Feliz Natal!!!


O Espinafre

by Gisele

Olá pessoal, em edição extraordinária o blog maternoeinfantil vai falar um pouquinho de um alimento, especificamente o Espinafre, pois surgiu uma dúvida quanto à inclusão do mesmo na alimentação dos bebês e uma mamãe preocupada me enviou um  e-mail sugerindo o assunto.

Bem, o espinafre (spinacia oleracea) é uma hortaliça muito conhecida pelo seu efeito fortificante. Quem não se lembra dos filmes do marinheiro Popeye?

O espinafre é conhecido por conter uma grande quantidade de ferro, mesmo depois de pesquisas e após corrigido esse teor, a quantidade é bastante relevante. Por isso o alimento é utilizado no combate a anemias e outras doenças do sangue.

É claro que outros alimentos, especialmente a carne vermelha, tem oferta de ferro mais acentuada que a do espinafre, principalmente se levarmos em conta a quantidade ingerida de um e outro. É muito mais facil consumir 100 gramas de carne que 100 gramas de espinafre.

O espinafre é um alimento rico em vários nutrientes como o cálcio, o potássio e as vitaminas A e Complexo B. Mas, como todo alimento, perde um pouco de suas propriedades nutricionais ao sofrer cocção.  O ferro do ovo (gema), melado, banana e cereja é 100% aproveitado. O ferro do feijão cozido é cerca de 80%, e o da carne, apenas 20%. O agrião e o espinafre apresentam um aproveitamento de ferro de 68%.

Existe também uma relação de “concorrência” entre o ferro e o cálcio, pois ambos são absorvidos no mesmo local, por isso alimentos ricos em ferro devem ser consumidos juntamente com alimentos ricos em vitamina c que favorecem a absorção do ferro. E alimentos ricos em cálcio, como o leite por exemplo, devem ser consumidos independentes dos alimentos ricos em ferro.

Um cuidado a ser tomado na ingestão desta hortaliça é quanto à higienização, as folhas devem ser bem lavadas e deixadas de molho em solução sanitizante (aquela feita com cloro e água). A procedência do produto também é importante na escolha, assim como em todo alimento, o índice de fertilizantes, agrotóxicos e hormônios utilizados pode tornar o produto impróprio para consumo. Se puder, prefira sempre os orgânicos.

Outro fator preponderante é a utilização do espinafre por pessoas portadoras de doenças renais, principalmente aquelas com insuficiência renal, assim como o feijão, a quantidade de potássio deste alimento é bastante relevante e só deverá ser consumido por esta população se orientado por nutricionista em dieta especialmente individualizada. O rim, quando doente, não consegue filtrar alguns nutrientes, por exemplo o potássio, e estes se acumulam na corrente sanguínea causando sérios problemas, podendo inclusive levar o paciente à morte. Mas essa situação acontece em pacientes com graves doenças renais. Indivíduos saudáveis são capazes de digerir, filtrar e aproveitar apenas o que é benéfico ao organismo.

Não há relatos ou pesquisas publicadas que comprovem algum efeito tóxico do espinafre no organismo humano e não há indícios ou qualquer determinação dos órgãos de saúde quanto à retirada deste alimento de nosso cardápio.  Portanto, continua valendo a regra do bom senso, do cardápio variado e colorido e do Bom apetite!!!

 

 


Melhores amigas para sempre!!!

by Gisele

Sabe aquela etapa da vida das meninas em que elas não se desgrudam e fazem o verdadeiro clube da Luluzinha?

É uma etapa obrigatória na vida de todas nós. Mas agora esse sentimento próprio, particular, que costuma aparecer lá por volta dos 8 anos de idade tem um nome, ou melhor uma sigla. Se liga aí mamãe, você já ouviu falar em BFF? Assim como o s2, costuma aparecer nos posts das redes sociais e e-mails das meninas. Não se assuste achando que é algo proibido ou que ofereça algum perigo.

Se ainda não conhece, o blog maternoeinfantil explica pra que você fique antenada com a situação. BFF é uma sigla que vem do inglês “best friends forever”, no português quer dizer ” Melhores amigas para sempre”.

Nesta fase é comum o grude entre as amigas, a troca de confidências, de elogios… Tudo é super, é perfeito, é cheio de te amo e para sempre pra lá e pra cá… Meninos nesta mesma idade, costumam ser deixados de lado por não compartilharem do mesmo sentimento…

Que fase boa minha gente!!! Me lembrei agora das minhas BFF’s…