O mundo encantado das mamães e seus bebês!

Irmãos Salvadores

by Gisele

Muitos dos Leitores devem ter visto matéria sobre a Menina Maria Clara. Que foi gerada por Fertilização in vitro com teste de compatibilidade e que poderá ser doadora de células tronco para a irmã que sobre de uma doença no sangue.

Essa história é recente, mas o tema já vem sendo abordado no Brasil há algum tempo. Inclusive com matéria bem interessante na revista veja de 12 de Outubro de 2011.

Um teste permite a seleção de embriões com genética compatível para a cura de irmãos portadores de doenças fatais.

Na última década, cerca de 5000 casais, ao redor do mundo, tentaram gerar um filho para salvar a vida de um outro filho portador de uma doença genética de origem hereditária.

Os resultados de uma fertilização in vitro com teste de compatibilidade são bem melhores se comparados com a FIV sem o teste e com a tentativa de forma natural. Pois nestas duas últimas mesmo que os filhos gerados sejam normais, não há garantia de que ele seja compatível.

Alguns países como Estados Unidos, Espanha, Turquia e Holanda permitem o teste de compatibilidade sem restrições, já França e Grécia só permitem o teste se houver comprovação de que a doença dos filhos anteriores é hereditária. Na Inglaterra o teste só é permitido se realizado em clínicas vinculadas ao governo.

Aqui no Brasil e na Argentina, não há leis específicas sobre o assunto.

O teste de compatibilidade custa em torno de R$5000,00.

Questões éticas e filosóficas são o maior entrave para que a técnica seja mais utilizada entre as famílias que passam por essa situação.


Fertilização

by Gisele

Oi gente! Há muito eu queria escrever um post sobre esse assunto. São muitas as dúvidas, de várias mulheres sobre poder ou não engravidar ou gerar um filho.

Como estamos assistindo diariamente nas novelas “A vida da Gente” e “Fina Estampa”, existem modernas técnicas de reprodução ou concepção assistida, para ajudar às mulheres na concretização do sonho de ser mãe.  Mas o que tem sido mostrado é “coisa de novela”, então resolvi pesquisar para este post sobre as técnicas disponíveis.

Bem, pra começar, entenda as condições necessárias para uma fertilização fisiológica.

O Homem precisa apresentar uma produção de espermatozóides, em um número adequado, normais e com boa movimentação para que estes possam alcançar a parte final das trompas, onde irão encontar o óvulo.

A Mulher precisa ter o muco cervical produzido no colo do útero favorável à sobrevivência dos espermatozóides. O sistema genital feminino deve permitir a ascenção dos espermatozóides até às trompas e essas devem ser capazes de captar o óvulo que foi liberado na ovulação. A produção do óvulo maduro depende do bom funcionamento hormonal dos ovários da hipófise.

A ruptura do folículo ovariano que contém o óvulo maduro: Uma boa ovulação.

E presença de cavidade uterina com anatomia normal e endométrio com capacidade de receber o embrião e permitir que este se desenvolva.

A infertilidade ocorre quando uma ou mais dessas condições não acontecem e a técnica é escolhida em função do tipo de infertilidade.

Indução da Ovulação com o coito programado: A ovulação é estimulada para se obter 1 a 4 óvulos que serão fertilizados nas trompas através de relações sexuais programadas. É indicada nos casos de distúrbios hormonais, como síndrome dos ovários policísticos ou quando a homem apresenta uma disfunção leve na produção dos espermatozóides.

Inseminação Intra Uterina ou “Inseminação artificial”: Durante o período mais fértil da mulher, é realizada uma coleta de sêmen e este é preparado ou capacitado. Os melhores espermatozóides são colocados dentro do útero utilizando-se um cateter especial. A Fertilização neste caso ocorre “In vivo”, dentro das trompas.

Fertilização In Vitro (FIV) ou Bebê de Proveta: Esta técnica reproduz em laboratório as condições necessárias para que ocorra a fecundação. A ovulação é estimulada com hormônios para obtenção dos óvulos que serão aspirados dos folículos ovarianos através da vagina. Os espermatozóides e os óvulos são colocados em meio de cultura e temperatura específicos. Após este período os embriões formados, são transferidos para a cavidade uterina durante um exame ginecológico normal. A FIV está indicada nos casos de alterações das trompas, endometriose, infertilidade sem causa aparente, alterações masculinas, entre outras.

Fertilização Por injeção Intracitoplasmática de espermatozóide (ICSI): Através da ICSI, é possível coletar um único espermatozóide e colocá-lo diretamente dentro do óvulo. Desta forma, homens com alterações graves do semên ou submetidos à vasectomia que já tentaram ou não desejam a reversão cirúrgica podem se beneficiar desta técnica. A ICSI também está indicada quando houve falha de fertilização em tentativas anteriores de fertilização in vitro (FIV).

A taxa de gravidez inicial tanto com ICSI como na FIV varia de 25 a 35% dependendo da idade da paciente. Fatores como idade da mulher e a qualidade dos óvulos obtidos podem aumentar as chances de sucesso. O acompanhamento das crianças nascidas através desta técnica tem mostrado que não há um aumento nas taxas de mal formações ou alterações congênitas.

Fonte: Material Informativo da Clínica Pró-Criar.